quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Premonição (1977)

(Sette Note in Nero, 1977, Lucio Fulci)



As resenhas de hoje serão sobre dois filmes de terror e suspense que aqui no Brasil receberam o nome “Premonição”. Um é italiano de 1977 e o outro é aquele filme de terror adolescente americano de 2000 que o SBT já passou várias vezes e que todo mundo de minha idade, mais ou menos, deve conhecer. Vamos começar então por ordem cronológica, vamos começar por Sette Note in Nero, ou “Premonição” como eu já disse.

Ao contrário de seu xará mais novo, esse filme de 1977 é obscuro aqui no Brasil, talvez conhecido apenas por fãs de terror, ou menos, apenas por fãs de Lucio Fulci. Apesar disso, acreditem se quiser, eu tomei parte desse filme através de minha mãe. Sim, minha mãe, que disse ter assistido durante sua adolescência nos anos 80 na Rede Record e que gostaria de revê-lo, me contando uma cena que também me deixou super interessado em ver (que só não conto como é, pois, estaria revelando um grande spoiler), mas que não se recordava do nome. Daí, eu não perdi tempo em satisfazer a vontade de minha mãe - e a minha também - e fui logo no Yahoo!Respotas descrever a cena pra ver se descobria o nome do filme e, graças a Deus (sim, pois, ter descoberto esse filme, digamos... foi uma benção! O tempo gasto em descobrí-lo foi recompensador e o porquê vocês entenderão no decorrer do post), eu descobri e eis que é esse que já os apresentei. Então comprei-o e logo o assistie eis que a resenha vos apresentarei abaixo.

O filme começa com nossa personagem principal, Virginia (interpretada por Jennifer O'Neill - Scanners), quando criança tendo uma visão de sua mãe se suicidando e de fato isso vem a acontecer, depois disso ocorre um pulo de 18 anos quando então a personagem está crescidinha e é uma decoradora que muda com seu marido Francesco (Gianni Garko – Momentos de Desespero) para uma casa na Itália e no percurso até a casa, quando está atravessando alguns túneis, ela começa a ter tonturas que dão início ás suas visões de um assassinato e a vítima sendo enterrada na parede de uma casa. Ao chegar a casa ela entra num cômodo e percebe que o mesmo é idêntico ao das visões que teve anteriormente fazendo com que fique obcecada em descobrir o que aconteceu criando uma teia de acontecimentos que fazem com que a mesma perceba que as visões que teve não foram de algo que aconteceu e sim que virão acontecer.

Acho muito injusto Lucio Fulci ser conhecido como “pai do Gore". Não que os filmes que ele produziu para o gênero sejam ruins, mas, muito antes dele aderir ao estilo americano e lançar filmes como a franquia Zombi, que o consagrou, Fulci produziu grandes obras primas pra um gênero conterrâneo seu, o Giallo. Chegando a rivalizar até mesmo com Dario Argento, Fulci produziu obras como “Lagarta em Corpo de Mulher” de 1971 e “Não se tortura um Patinho” de 1972 que são tão bons quanto os Zombis da vida e que, na minha opinião, mereciam muito mais reconhecimento. Digo o mesmo para Premonição, que apesar de não ser considerado um “amarelinho”, tem vários elementos característicos do mesmo como por exemplo o assassino em série matando qualquer um que atravesse seu caminho com uma luva preta e uma faca e que só é revelado no final quem é (aqui ele não está em série, muito menos usa luvas ou mesmo facas para matar), a câmera volúvel que ao mesmo tempo que nos apresenta vários detalhes nos engana com eles, fora a trilha sonora tensa que ajuda no condução do filme (aqui assinado por Fabio Frizzi presença obrigatória nos filmes de Fulci).

Muitos fãs consideram o nome recebido no Brasil um spoiler, mas eu acredito que não seja pra tanto mesmo que trate-se disso a história contada no filme, estamos falando de Lucio Fulci um dos mestres do cinema fantástico e que, com certeza, nos guardou muito mais surpresas no decorrer da história. Ele fez d'uma obra simplista um filme extraordinário (desculpe meu saudosismo/puxa-saquismo, mas não consigo ser imparcial quando se trata de Giallo e principálmente sendo dos meus diretores preferidos que são italianaos. Vocês verão muito isso em possíveis próximas críticas sobre filmes deles) e pelo clima setentista de filmes de terror que não consigo descrever apenas com uma palavra (outro saudosismo meu).


Enfim, é uma obra-prima, um suspense eletrizante! Que recomendo a todos verem, seja comprando (o que é raro de encontrar), baixando ou via stream, não importa! O filme vale muito à pena e, assim como eu, vocês não se arrependerão!

Nota: 9 / 10